Começa nesta segunda-feira, 17 de abril, a Campanha Nacional de Vacinação Contra a Influenza. A ação vai até 26 de maio, mas o dia de mobilização nacional será no sábado, 13. A meta é vacinar 54,2 milhões de pessoas em todo o país.

A novidade da campanha, deste ano, é a inclusão dos professores da rede pública e privada no público alvo, com direito a receber a imunização gratuitamente no Sistema Único de Saúde (SUS). Cerca de 2,3 milhões de docentes devem ser imunizados nos postos de saúde.

A vacina tem por objetivo reduzir as internações, complicações e mortes em decorrência das infecções pelo vírus da gripe. Idosos, a partir de 60 anos; crianças, de seis meses a 4 anos; trabalhadores de saúde; gestantes e mulheres com até 45 dias após o parto também fazem parte do público-alvo.

Os grupos prioritários devem se vacinar todos os anos, já que a imunidade contra os vírus cai progressivamente. Além disso, o vírus da gripe passa por mutações frequentes. Também serão vacinados presos e funcionários do sistema prisional, doentes crônicos, mediante apresentação de prescrição médica e funcionários da educação do ensino básico, médio e superior, das redes pública ou privada.

Vacina
A vacina influenza trivalente é composta por cepas dos três tipos de vírus da gripe mais circulantes no Hemisfério Sul. O esquema é recomendado conforme a idade do paciente: duas doses para crianças de seis meses a 8 anos de idade que nunca tenham sido vacinadas contra a gripe; e dose única para pacientes a partir de 9 anos. É preciso atualização da dose anualmente em virtude das mudanças de cepas dos vírus influenza.

Para pessoas que tenham apresentado febre recente, a recomendação é adiar a vacinação até que o estado de saúde melhore. Portadores de doenças neurológicas e síndrome Guillain-Barré devem consultar um médico antes de tomar a vacina e seguir suas orientações. Pessoas com história de alergia grave e prévia a ovo ou a algum outro componente da vacina não devem se vacinar.

Segundo o ministério da Saúde, 60 milhões de doses de vacinas foram adquiridas, das quais 21,1 milhões de doses já foram distribuídas aos Estados.
Fonte:Agência CNM