A Câmara Municipal de Santa Rita do Trivelato têm a grata satisfação de parabenizar todas as mulheres trivelatenses e locais.

Indicação 02/2017

Nesta segunda-feira (06) foi dia de comemoração logo após a 3º sessão Ordinária do ano Legislativo de 2017 a vereadora Nelci Venturini Dall'Óglio solicitou uma sessão solene para monção de aplauso dia internacional da mulher (INDICAÇÃO 02/2017) a qual foi realizada as 10hs:00min.

Foi realizada no Plenário da câmara e para homenagear neste ano as mulheres trivelatenses e em especial as mulheres do Projeto a Hora do Conto que é realizado há oito anos, 2009 a 2016, essas mulheres lindas, empreendedoras, batalhadoras, mães em geral muito especiais e ressaltando que algumas são pioneiras do município e que com suas historias contribuíram para deixar registros na historia de Santa Rita do Trivelato através dos cinco livros publicados no projeto Hora do Conto, como também são exemplos de incentivo à leitura, a convivência e de simplesmente Mulher.

Durante a sessão foi ressaltado pela vereadora ROSALINA DE SOUZA OLIVEIRA (rosa do pacoval) que há ainda descriminação da mulher no mercado de trabalho. Inclusive destacou um fato ocorrido em uma empresa do município a qual ofertava uma vaga de emprego para o cargo de auxiliar administrativo que era disposta somente para homens pelo fato que a lei da o direito de afastamento em determinadas situações como a licença pós-parto.

Logo após a Apresentação coordenada pela professora Luciene em seguida as entregas das Placas do Título “Mulher Destaque” no qual os vereadores foram chamados para fazer a entrega.

Segue  a baixo a lista das mulheres que participaram  e participam da Hora do conto.

 

1-Alzira Ferron

2-Anadir de Souza Horst

3-Antonia Cezaria De França

4-Brazilia Maria de França

5-Edith Paludo

6-Gertrudes Neiverth

7- Cleide Zani Ramos

 8-Ilone Petersen Planer

9-Laura Pereira de Almeida

10-Lori Marlene Schneider Seibel

11-Lurdes Maria Cheroni

12-Manuela de Jesus Pereira

13-Margarida Elizabete Heintze

14-Maria da Conceição da Silva

15-Maria Olivina da Luz Santos

16-Marina Bezerra Hoeperc

17-Marlene Correia Carnelocci

18-Marli Bonatto De Oliveira

19-Nelci Maria Cabeira

20-Neli Terezinha de Oliveira Bitencourt

21-Nora Amari Manica

22-Odete Casarotto Ferron

23-Paula Seibel

24-Rosa Lina Tavernelli

25-Selma Freitag

26-Soraia Antonia Onofre

27- Soraia G. P. da Silva

28- Teodozia koss

29-Verginia de Melo ( In Memoriun)

30-Wilma Kleme

 

                                          

JUSTIFICATIVA

No dia 8 de março de 1857, operárias de uma fábrica de tecidos, situada na cidade norte americana de Nova Iorque, fizeram uma grande greve. Ocuparam a fábrica e começaram a reivindicar melhores condições de trabalho, tais como, redução na carga diária de trabalho para dez horas (as fábricas exigiam 16 horas de trabalho diário), equiparação de salários com os homens (as mulheres chegavam a receber até um terço do salário de um homem, para executar o mesmo tipo de trabalho) e tratamento digno dentro do ambiente de trabalho. A manifestação foi reprimida com total violência. As mulheres foram trancadas dentro da fábrica, que foi incendiada.

Aproximadamente 130 tecelãs morreram carbonizadas, num ato totalmente desumano. Porém, somente no ano de 1910, durante uma conferência na Dinamarca, ficou decidido que o 08 de março passaria a ser o "Dia Internacional da Mulher", em homenagem as mulheres que morreram na fábrica em 1857.

Somente no ano de 1975, através de um decreto, a data foi oficializada pela ONU (Organização das Nações Unidas). Ao ser criado esta data, não se pretendia apenas comemorar. Na maioria dos países, realizam-se conferências, debates e reuniões cujo objetivo é discutir o papel da mulher na sociedade atual. O esforço é para tentar diminuir e, quem sabe um dia terminar, com o preconceito e a desvalorização da mulher. Mesmo com todos os avanços, elas ainda sofrem, em muitos locais, com salários baixos, violência masculina, jornada excessiva de trabalho e desvantagens na carreira profissional. Muito foi conquistado, mas muito ainda há para ser modificado nesta história.

De acordo com dados da Fundação Carlos Chagas, no período de 1981 a 1998, o crescimento das mulheres economicamente ativas no país foi de 111%, enquanto que dos homens o crescimento foi de 40%. Atualmente, a parcela feminina representa 41% da população economicamente ativa, com 30 milhões de mulheres no mercado de trabalho. No setor educacional, a ascensão da mulher revela-se na presença de 57% dentre os estudantes do 2º grau e de ensino superior.

Mas entre as flores desse novo cenário, também existem pedras e grandes desafios a serem vencidos. Neste novo milênio, as mulheres irão enfrentar o aumento das disparidades do poder econômico e do acesso aos serviços de saúde. Por esta razão é preciso que se encontrem caminhos que ampliem o acesso e garantam a igualdade de direitos no que diz respeito ao cuidado da saúde. Numa sociedade global na qual vivemos, as condições de vida, de cultura e de trabalho deverão se integrar às condições de saúde, resultando num quadro social norteado pela igualdade e pela justiça.

 

Agradecemos á presença do Prefeito Municipal e Vice-Prefeita;

Agradecemos á presença dos agricultores presentes;

Agradecemos á presença de todos os secretários Municipais presentes;

E agradecemos também a presença de todos os munícipes aqui presentes.

Câmara Municipal Santa Rita do Trivelato - MT, 08 de março de 2017.

FONTE: ASSESSORIA DE COMUNICAÇÃO

FOTOS: HELLYS SANTOS

 

 

.