O reflexo da crise financeira nos municípios foi um dos principais temas debatidos na abertura do 32º Encontro de Prefeitos, que teve início na manhã desta terça-feira (1), na Associação Mato-grossense dos Municípios. O evento é realizado pela AMM e vai se prolongar até esta quarta-feira (2), com a participação de gestores de todo o estado. Representanto o Tribunal de Contas de Mato Grosso, esteve presente o conselheiro e ouvidor geral Antonio Joaquim.

alt
Presidente da AMM, Neurilan Fraga, discursa na abertura do encontro de prefeitos

O presidente da Associação Mato-grossense dos Municípios, Neurilan Fraga, disse que o Encontro visa encontrar caminhos para superar as dificuldades, que penalizam as administrações municipais. "Atualmente cerca de 30% dos municípios já estão pagando salário no mês subsequente. E a tendência, com a crise, é que cerca de 70% não vão conseguir pagar salários em dia", assinalou.

Para o conselheiro Antonio Joaquim lembrou que em uma situação de crise não há saída se não houver responsabilidade politica, com postura de enfrentamento do problema, colocando o interesse público acima de qualquer outro. ´Sabemos que democracia só existe se houver controle mas o TCE do século 21 está preocupado com a melhoria da qualidade da gestão e da boa governança, pensando no cidadão. Por isso temos colaborado com os gestores oferecendo soluções", disse. O conselheiro lembrou ainda das novidades quanto ao sistema APLIC para dar mais agilidade e facilidade aos administradores e as mudanças nos valores limite da Lei 8.666/93

Fonte: TCE-MT