altO Tribunal Regional Eleitoral de Mato Grosso está construindo o planejamento das Eleições 2014, que definirá todas as ações a ser desenvolvidas nos 141 municípios, para o sucesso do pleito marcado para o próximo ano. Os trabalhos estão sendo gerenciados pela Assessoria de Planejamento, em parceria com a Secretaria de Tecnologia da Informação e com a Secretaria de Gestão de Pessoas, que vem se reunindo com os demais setores do Tribunal e Cartórios Eleitorais para discutir os detalhes pertinentes a cada área envolvida.

Entre as centenas de ações de cunho administrativo, necessárias à realização das eleições, estão todas as aquisições de produtos e serviços, que incluem inclusive aluguel de aeronaves, barcos e veículos; capacitações de servidores; treinamentos de mesários; contratação e treinamentos de técnicos de urna e de satélite; deslocamento de pessoal e providências quanto a pagamentos de diárias; assinatura de parcerias com instituições públicas e privadas; manutenção e distribuição das urnas eletrônicas; e organização da segurança, dentre outros.

De acordo com a gerente do Projeto de Planejamento das Eleições, Joseane Mara Ferreira, “é preciso prever, em detalhes, tudo que será feito, como será feito, quem fará, onde e quanto custará cada ação”.

Ela explicou que o planejamento, associado ao acompanhamento das ações, assegura maiores chances de sucesso, melhor aplicação e uso dos recursos públicos e maior qualidade dos serviços realizados.

O planejamento precisa levar em conta, ainda, os exíguos prazos do processo eleitoral, já que a eleição tem data e hora para começar, ou seja, às 8 horas do dia 5 de outubro de 2014.  Desta forma, cada providência tem um prazo específico para ser implantada, com um cronograma apertado de ações a ser realizadas. E as atividades precisam acontecer de forma integrada, visto que cada setor da Justiça Eleitoral depende do bom funcionamento das demais áreas para levar adiante suas atividades específicas.   

Além de todas essas providências, a Assessoria de Planejamento precisa elaborar relatórios mensais com o acompanhamento das ações planejadas, a fim de subsidiar a alta administração nas tomadas de decisões. Esses relatórios poderão, por exemplo, auxiliar a Presidência a definir prioridades e a adotar um “plano B” em caso de imprevistos causados por fatores externos.

A adoção de um planejamento integrado das eleições visa ainda garantir o aprimoramento contínuo da segurança do processo eleitoral, prevenindo ocorrências de erros e tentativas de fraudes.

 

Fonte: TRE/MT