A presidente eleita da União das Câmaras Municipais de Mato Grosso (Ucmmat) Ismaili Donassan (PSD) criticou o Governo Silval Barbosa (PMDB) por privilegiar pagamento de precatórios em vez de investir na saúde. Ela, que é vereadora por Colíder (a 650 km de Cuiabá), observou que o maior clamor do município é pela saúde pública, pois assim como em grande parte das cidades do interior, os enfermos de Colíder enfrentam mais de 12 horas de ônibus para vir se tratar na Capital e ainda depende de hospedagem em Casa de Apoio. Crítica semelhante é feita constantemente por deputados na tribuna da Assembleia.

Ismaili também desaprova política do Governo Federal de baixar Imposto Sobre Produtos industrializados (IPI). Apesar da medida ser benéfica ao consumidor, os municípios vêm sofrendo com a desoneração dos impostos, isso porque os repasses passam a ser menores. Ela ressalta que a arrecadação dos municípios é muito pequena e se o Governo Estadual não se faz presente, por meio dos repasses do ICMS, as cidades não conseguem se sustentar. A vereadora que entra no seu terceiro mandato lembra que a solução seria rever o Pacto Federativo.

“A União não pode mais ficar com 60% do bolo tributário. Se isto não for revisto, nos próximos anos os municípios não conseguirão arcar com a folha de pagamento”, garante. Ismaili foi eleita ao comando da Ucmmat com 246 votos, e disputava contra Edileusa Ribeiro (PTC) de Guarantã do Norte, que obteve apenas 159 votos. Aproximadamente 900 vereadores compareceram às urnas para votar, sendo que quase 60% do PSD votaram na presidente eleita.

Fonte / Foto: RDNews - Glaucia Colognesi / Rodinei Crescêncio